Depois de 4 meses internada no HVS, menina de dois anos desafia prognóstico e se recupera de quadro

     Foram 120 dias de internação, entre UTI Pediátrica e Pediatria no Hospital Vida & Saúde. Maria Helena Hochmuller de Jesus, chegou ao Hospital com 1 ano e 10 meses e enfrentou dias difíceis, de muita luta pela vida. A história inicia no dia 28 de agosto, após um afogamento na piscina da casa da família em Santo Ângelo. Em sua cidade natal, Maria recebeu os primeiros atendimentos, mas com a gravidade do caso foi transferida às pressas para a UTI Pediátrica do HVS.
     “Ela chegou muito grave! Os primeiros exames mostravam sofrimento cerebral, comprometimento pulmonar e os rins davam sinais de não estarem funcionando mais”, conta a pediatra Dra. Paula Ministério, que recebeu Maria na UTI Pediátrica do Vida & Saúde.
     Os pais, Mileny e Kelwin, estiveram presentes em todo o momento no Hospital, acompanhando o mais próximo possível cada detalhe do atendimento da filha. “No terceiro dia (o pior de todos), mesmo trabalhando muito no caso, a medicina já estava desacreditada e sem novas medidas de como reverter a situação”, destaca Mileny, em relato publicado sobre o caso.
     Ao longo de sua internação, Maria recebeu acompanhamento de uma equipe multiprofissional, que envolveu além de médicos, enfermeiros e técnicos, fisioterapeutas, psicólogos, fonoaudióloga e nutricionistas. O envolvimento de todos foi grande e cada pequeno avanço foi comemorado pelos profissionais.
     No dia 25 de outubro, ainda na UTI Pediátrica, Maria comemorou os dois anos de idade ao lado dos pais, mas o presente só veio dois dias depois, no dia 27, quando recebeu alta da UTI e foi encaminhada para a Pediatria, ainda com dependência de oxigênio.
     Aos poucos, Maria foi se recuperando, obtendo importante melhora neurológica e diminuindo a necessidade de oxigênio, até que pôde retomar os passeios e pequenas caminhadas ao ar livre – que aconteciam na Praça Júlia Lima, no pátio interno da Instituição.
     “A Maria Helena superou todas as nossas expectativas. A cada dedinho que ela movimentava até o dia em que ela saiu correndo pelo corredor do Hospital, foram motivos de muito orgulho para toda a equipe!”, conta a fisioterapeuta Rita Theis, uma das profissionais que acompanhou Maria Helena ao longo da internação.
     No fim da tarde do dia 30 de dezembro, aconteceu a tão esperada alta hospitalar de Maria. Na frente do Hospital, familiares recepcionaram Maria e seus pais. Com direito a música, oração e muita emoção, o fim de ano da família de Jesus foi de muita comemoração e agradecimento.
     “O quadro clínico da Maria era sim muito grave”, explica o pediatra Dr. Cezar Altino Souza, que acompanhou o caso desde o início. O pediatra lembra que afogamento é a primeira maior causa de morte acidental entre crianças de 1 a 4 anos e refere que na maior parte das vezes, os afogamentos são acidentes rápidos e silenciosos. “Nem sempre temos um final feliz quando eventos como esses acontecem, por isso, a importância da prevenção dos mesmos”.
     Dr. Altino enfatiza ainda que crianças devem sempre usar colete salva vidas quando estiverem próximos de piscinas, lagos, rios praias. E, mais importante, sempre deve haver um adulto supervisionando atentamente estas crianças quando estiverem brincando.

Voltar

Horário de visitas

Confira o horário de funcionamento das portarias:

* Permanece negado a entrada com chimarrão e o acesso de crianças menores de 12 anos.

Galeria de vídeos

Confira os vídeos publicados em nossa galeria de vídeos.

Confira os vídeos